terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

II- Não pode


Eduard me disse que todos devem obedecer a um príncipe - o príncipe da cidade-. Alguem a ser respeitado e temido.
Contou-me também que no início os antigos elaboraram uma espécie de três regras indispensáveis para a sobrevivência e existência de todos.
A primeira e mais importante de todas é que não devemos revelar nossa real forma aos mortais. Disse que nos escondemos atrás de uma espécie de máscara de humano. Quando revelamos a um mortal quem somos quebramos essa "máscara", expomos nossa existência e condenamos todos a uma caçada e a extinção.

Então em resumo a primeira regra é: não reveleis a tua verdadeira forma. " não quebre a tal máscara"

Quanto as outras duas ele disse que eu sou nova demais para entender...( que coisa ("¬ ¬))

Fora essas regrinhas ele me disse para nunca, em qualquer que seja a situação, beber do sangue de um igual. Eduard falou com tanta seriedade que eu gravei todas as palavras. Deu medo.
"Quando você prova do veneno doce e delicioso, que é o sangue de um Vampiro, você vira escravo do sangue e marionete do vampiro. E nunca, em hipótese alguma, beba do sangue de um."

Telassim para de escrever por um momento, lê tudo o que tinha escrito, arranca as duas folhas do diário

- Muito arriscado, alguem pode ler... Então como eu vou fazer para... Já sei.

"Boa noite querido diariooooo
Estou super empolgada com a minha nova criação, andei relendo Vampire Kinight e fiquei super inspirada. Vou escrever um livro sobre vampiros \o/...
Já estou procurando na internet e lendo livros sobre. Ainda estou pesquisando sobre a história mas vou começar a escrever desde já..."

Após ter escrito essas linhas ela levantou, trancou o diário e levantou-se. Pegou as folhas, foi até a pia e as umideceu até transforma-la em uma maça uniforme. Não queria correr o risco de alguem ler. Ela estava morando com o Eduard agora mas levava o diário sempre consigo. Ele tinha um cadiadinho de mala de viagens; era reforçado mas, ainda assim não achava seguro.

Ela sabia que todos os seus erros iriam repercutir sobre Eduard, e isso era uma coisa que ela não queria
- Cuidado nunca é demais

Os pensamentos de Tel são interrompidos pelo chamado de Eduard. Que a convocava à sala.
- Quero que conheça uma pessoa...

Um comentário:

Lucian Dolor disse...

Você é muito nova para entender.
kkkkkkkkkkkkkkkkkk

Chamou de piveta ^^



Te amo meu amor. Ficou bom.

Entrevistas e algo mais...